05. A Chantar

Comtessa de Dia, sÚc. XII / 12th. century

Cansó (canção) da trobairitz (trovadora) Beatriz, ou Condessa de Dia. Único exemplo remanescente deste gênero, com poesia e linha melódica compostas por uma trovadora (bibliogr. 2 - discogr. 3). A Chantar apresenta os valores atribuídos aos cavaleiros (pretz, coratge) espelhados como qualidades da própria dama. Indignada com a rejeição do amigo, ou enamorado, Beatriz envia para ele a melodia como se essa fosse uma mensageira (neste arranjo representada pela flauta), o que é sublinhado pela tornada final (últimos versos de uma cansó): “Mas meu maior desejo, mensageira, é que lhe digas isto:orgulho em demasia traz danos para muita gente”.

A chantar m’èr de çò qu’eu no volria, Tant me rancur de lui cui sui amia; Car eu l’am mais que nulha ren que sia; Vas lui no’m val Mercés ni Cortesia Ni ma beltatz ni mos prètz ni mos sens; Qu’atressí’m sui enganad’ e trahia Com degr’ èsser, s’eu fos desavinens. Valer mi deu mos prètz e mos paratges E ma beltatz, e plus mos fins coratges; (Per qu’eu vos man, lai on es vòstr’estatges, Esta chanson, que me sia messatges) (flauta) Mas aitan plus vòlh li digas, messatges, Qu’en tròp d’orgòlh an gran dan maintas gens. Canto a contragosto o mal que me atrofia. A mágoa daquele de quem sou amiga, Encobre o amor e tudo o que é nobre nega. Beleza, cortesia, fidelidade, são para ele de pouca valia. Vejo em mim, entretanto, outra imagem: Aquela que do incerto não desvia, Encara o espelho com coragem, Reluz a viagem de mais um dia. Escrava do desejo, fujo da razão, escrevo. Que esta canção lhe sirva de mensagem: Orgulho desmesurado cega, Reduz o pássaro ao barulho.
Isa Taube: voz / voice
Ricardo Matsuda: viola brasileira / Brazilian 10-string guitar
Valeria Bittar: flauta-doce 2 / recorder 2

adaptação e arranjo / arrangement: Fernando Carvalhaes
recriação: Luiz Fiaminghi